A BUNDA DURA

Um delicioso artigo que recebi por email

ARNALDO JABOR: ‘A BUNDA DURA’

Tenho horror a mulher perfeitinha.
Sabe aquele tipo que faz escova toda manhã, tá sempre na moda e é tão sorridente que parece garota-propaganda de processo de clareamento dentário?
E, só pra piorar, tem a bunda dura?
Pois então, mulheres assim são um porre.
Sou louco?
Então tá, mas posso provar a minha tese.
Quer ver?

 
a) Escova toda manhã:
A fulana acorda as seis da matina pra deixar o cabelo parecido com o da Patrícia de Sabrit. Perde momentos imprescindíveis de rolamento na cama, encoxamento do namorado, pegação… pra encaixar-se no padrão. Quando não tem ‘Formol’ na cabeça.

 
b) Na moda:
Estilo pessoal pra ela, é o que aparece nos anúncios da Elle do mês. Você vê-la de shortinho, camiseta surrada e cabelo preso? JAMAIS!
O que indica uma coisa: Ela não vai querer ficar desarrumada nem enquanto estiver transando.

 
c) Sorriso incessante:
Tá fazendo treinamento pra Hebe?
Sou antipático com orgulho, só sorrio para quem provoca meu sorriso. Não gostou? Problema seu. Isso se chama autenticidade, meu caro.
Coisa que, pra perfeitinha, não existe. Aliás, ela nem sabe o que a palavra significa… Coitada.

 
d) Bunda dura:
As muito gostosas são muito chatas. Pra manter aquele corpão, comem alface e tomam isotônico (isso quando não enfiam o dedo na garganta pra se livrar das 2 calorias que ingeriram), e só falam em academia e ficar em forma. Tudo fala que engorda! Portanto não vão acompanhá-lo nos pasteizinhos nem na porção de bolinho de arroz do sabadão. Bebida dá barriga e ela tem H-O-R-R-O-R a qualquer carninha saindo da calça de cintura tão baixa que o cós acaba onde começa a pornografia: nada de tomar um bom vinho com você. Cerveja? Esquece!

 
Legal mesmo é mulher de verdade!!!
E daí se ela tem celulite?
O senso de humor compensa.
Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira. Principalmente as mais maduras.

Cuidado com os frascos, enganam bem. Quem aguenta nhem nhem nhem o tempo todo?
Pode até ser meio mal-educada às vezes, mas adora sexo.
Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução (e, às vezes, nem chegam a ser um problema).
Mas ainda não criaram um remédio pra futilidade.
E não se esqueça…

‘Mulher bonita demais e melancia grande, ninguém come sozinho! Acredite pois é a pura verdade!!!’

Anúncios

Motel

Mirtes não se agüentou e contou para a Renata:

– Viram teu marido entrando num motel.

A Renata abriu a boca e arregalou os olhos. Ficou assim, uma estátua de espanto, durante um minuto, um minuto e meio. Depois pediu detalhes.

– Quando? Onde? Com quem?
– Ontem. No Discretíssimu’s.
– Com quem? Com quem?
– Isso eu não sei.
– Mas como? Era alta? Magra? Loira? Puxava de uma perna?
– Não sei, Re.
– Carlos Alberto me paga. Ah, me paga.

Quando o Carlos Alberto chegou em casa a Renata anunciou que iria deixá-lo e contou por quê.

– Mas que história é essa, Renata? Você sabe quem era a mulher que estava comigo no motel. Era você!
– Pois é. Maldita hora em que eu aceitei ir.
– Discretíssimu’s! Toda a cidade ficou sabendo. Ainda bem que não me identificaram.
– Pois então?
– Pois então que eu tenho que deixar você. Não vê? É o que todas as minhas amigas esperam que eu faça. Não sou mulher de ser enganada pelo marido e não reagir.
– Mas você não foi enganada. Quem estava comigo era você!
– Mas elas não sabem disso!
– Eu não acredito, Renata! Você vai desmanchar nosso casamento por isso? Por uma convenção?
– Vou!

Mais tarde, quando a Renata estava saindo de casa, com as malas, o Carlos Alberto a interceptou. Estava sombrio:

– Acabo de receber um telefonema – disse. – Era o Dico.
– O que ele queria?
– Fez mil rodeios, mas acabou me contando. Disse que, como meu amigo, tinha que contar.
– O quê?
– Você foi vista saindo do motel Discretíssimu’s ontem, com um homem.
– O homem era você!
– Eu sei, mas eu não fui identificado.
– Você não disse que era você?
– O que? Para que os meus amigos pensem que eu vou a motel com a minha própria mulher?
– E então?
– Desculpe, Renata, mas…
– O quê???
– Vou ter que te dar uma surra…

(Luiz Fernando Veríssimo)

CONCLUSÃO:

DEVEMOS CUIDAR APENAS DA NOSSA SAÚDE, POIS DA NOSSA VIDA, TODO MUNDO CUIDA, INCLUINDO COLEGAS DE TRABALHO, VIZINHOS E AMIGOS. PARENTES ETC……….