Proibír a publicidade é a solução?

Capacitação de professor é fundamental para bom uso da internet na escola, dizem educadores

13 de Abril de 2008 – 12h22

Ao lançar na última semana o programa Banda Larga nas Escolas, o ministro da Educação, Fernando Haddad, advertiu que de nada adiantará o esforço do governo de levar a 37 milhões de alunos o acesso à internet banda larga se os professores não forem capacitados para fazer bom uso desse equipamento.

O programa vai levar a conexão rápida de acesso à internet a 56 mil escolas públicas até 2010. A avaliação do ministro tem o apoio de educadores.

“Só tem sentido (a iniciativa) se vier associada a uma política de formação de professores. Mas o próprio MEC acena com a possibilidade de garantir a formação daqueles que ainda não dominam a ferramenta”, acredita a presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Justina Iva de Araújo.

Para este ano, a previsão do MEC é capacitar 100 mil professores da rede. A Secretaria de Educação a Distância oferece dois cursos: um introdutório de 40 horas para profissionais que tiveram nenhum ou pouco contato com computadores, e outro voltado para as tecnologias na educação, com duração de 140 horas.

Em 2001, a professora Nilza Gomes, do Laboratório de Novas Tecnologias (Lantec) da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pesquisou nas escolas do estado a utilização dos equipamentos de informática.

Ela constatou que muitos diretores recebiam os computadores do Programa Nacional de Informática na Educação (Proinfo ) e deixavam nas caixas porque “não sabiam o que fazer com aquilo”. “Em primeiro lugar precisa haver a formação do professor. Só a tecnologia, os equipamentos e recursos não resolvem”.

Para ela, é preciso que os professores sejam apresentados às possibilidades que a internet oferece. “Quando a gente vai na escola e planeja com o professor um projeto de trabalho ele percebe que é possível se organizar e fazer atividades com seus alunos”.

A professora Ana Cláudia Domingues, do Centro Educacional 1 do Guará, cidade-satélite de Brasília, espera por essa capacitação. A escola em que ela leciona deve receber em breve a banda larga.

“Nós precisamos também dominar a parte da informática, quando a gente conhece facilita o nosso planejamento. Como professores não podemos ser “analfabytes”, a gente precisa ter esse conhecimento para estreitar cada vez mais os laços entre a tecnologia e o nosso dia-a-dia na sala de aula”.

Algumas bibliotecas virtuais

De acordo com a legislação brasileira, toda obra passa a ser de domínio público a partir do 70º aniversário de morte do seu criador…entrar em domínio público é compartilhar com outros uma obra particular. É a comprovação do direito de acesso à cultura para todos. Nunca foi tão fácil ter acesso a livros como hoje em dia, onde se pode achar acervos virtuais e livros em diversos formatos pra baixar….então meus caros ai vai alguns links de bibliotecas virtuais…..

Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa
www.bibvirt.futuro.usp.br

Biblioteca de teses e dissertações da USP
www.teses.usp.br

Bliblioteca de Obras raras da USP
www.obrasraras.usp.br

Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa
www.bibvirt.futuro.usp.br

DominioPúblico
www.dominiopublico.gov.br

Biblioteca Nacional do Brasil
www.bn.br/bndigital

Instituto Moreira Salles
www.ims.com.br

Projeto Gutenberg
www.gutenberg.org

Rare Book Room [ em inglês]
www.rarebookroom.org

……leitura ao alcance de todos

via

“Periguetes” em perigo: mania das fotos eróticas entre meninas assusta pais…

Uma estranha mania está deixando pais e mães de meninas cada vez mais novas espantados. Fazer verdadeiros ensaios caseiros com muitas poses, caras e bocas, e pouca (bem pouca) roupa tem se tornado diversão para muitas garotas que aproveitam os recursos da informática para distribuir as fotos quase-eróticas entre colegas.Dai para as telas de pervertidos, maníacos, ou sites pornográficos, é uma questão de cliques, literalmente. Leia mais deste post

10 Dicas para enfrentar o mercado de trabalho

Como a cada dia o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo (Clichê), esta lista pode te ajudar bastante.

1º. Estude sempre, não pare. Se você tem nível de 2º grau, faça um bom curso superior, se tem nível superior, busque uma pós-graduação como a do Senac. Clique para conhecer.

2º. Domine a Informática. Saiba operar um microcomputador, no mínimo.

3º. Use a Internet. Navegue na Internet e se mantenha conectado com o mundo e tenha acesso a oportunidades.

4º. Defina seus objetivos. Saiba o que quer e como chegar lá, isto evita perda de tempo, energia e dinheiro. Leia mais deste post

Pesquisas revela, Lan house é o principal local de acesso à internet

Com redução de impostos, aumenta o uso de computadores no país

As lan houses se tornaram, no ano passado, o principal local de acesso à internet no Brasil. Uma pesquisa divulgada pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br) mostrou que 49% dos internautas acessam a rede mundial em centros públicos pagos. O levantamento ainda aponta que 40% usam em casa, 24% se conectam no trabalho e 24%, na casa de outra pessoa.

As lan houses são o principal ponto de acesso dos internautas de baixa renda, mas mesmo os jovens que têm computador com banda larga em casa usam eventualmente esses locais pagos.

Entre os freqüentadores de lan house, 78% têm renda familiar de até um salário mínimo. No segmento com renda superior a cinco salários, o uso do centro pago diminui para 30%.

– A participação da lan house cai quando perguntamos qual é o principal local de uso – informa Mariana Balboni, gerente do Cetic.br.

O centro de estudos pertence ao Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br (NIC.br), entidade sem fins lucrativos responsável pelo registro dos endereços de internet com final .br. O levantamento mostrou os bons resultados da chamada Lei do Bem, que cortou impostos federais sobre a venda de PCs. O resultado é que 53% da população brasileira já usou um computador.

Pela primeira vez a pesquisa, que ouviu pessoas acima de 10 anos, encontrou mais gente com acesso a um micro do que quem não teve. O total de pessoas que se conectaram à rede mundial nos últimos três meses saltou de 35,3 milhões em 2006 para 44,9 milhões.

De certa forma, a pesquisa mostra o contraste de resultados de dois tipos de política pública. A Lei do Bem, que reduziu impostos e incentivou o mercado, fez com que a posse de computadores passasse de 17% dos lares em 2005 para 24% em 2007. Entre quem ganha de três a cinco salários mínimos, o aumento saltou de 15% para 40%. Contribuiu também para a proliferação das lan houses, que eram usadas por 49% dos internautas no ano passado.

A criação de centros gratuitos de acesso, chamados telecentros, não mostrou resultados tão bons. Muitas vezes estão sob a responsabilidade direta da administração pública. Em 2007, atendiam a 6% dos internautas. O percentual é o dobro de 2006. Mesmo assim, mostram-se uma solução bem menos efetiva que as lan houses. Além da falta de renda, a educação deficiente é um obstáculo importante à inclusão digital. Como conseqüência, 55% das pessoas que nunca usaram a internet apontaram a “falta de habilidade” como motivo.

via

 

MEDICINA NA CAMA

texto simplesmente sensacional leia ate o fim……..

Homem e mulher na cama do motel.
Já haviam travado a esperada luta e tragavam os seus respectivos cigarros: Leia mais deste post

Fique por dentro das futuras mudanças da língua portuguesa!

atual.jpgA partir de 2009, deverá entrar em vigor a reforma ortográfica que torna a língua portuguesa um idioma único em todo o mundo. Leia mais deste post

Aluga-se amor

Trailer de The Great Happiness Space Documentary – Histórias de um ladrão de amor, sobre a prostituição masculina light no Japão.

Eles ganham cerca de U$ 20 mil por mês. São estilosos, bons de conversa e vivem cercados de mulheres. Provavelmente, gastam tanto dinheiro em escovas, permanentes e luzes quanto David Beckham. E freqüentam mais festas que Amauri Júnior. Sua profissão? “Vender sonhos” para garotas japonesas.

O documentário The Great Happiness Space Documentary – Histórias de um ladrão de amor, lançado em março, mostra a vida dos chamados “hosts”, no Japão. Trata-se de uma espécie de prostituição masculina light: é legalizada e, em tese, não envolve sexo.

Os profissionais da área anunciam em TVs, revistas e outdoors. Mas também há os que precisam enfrentar os calçadões. Bem vestidos e usando acessórios caros, eles circulam pelos bairros de cidades como Osaka, vendendo uma noite de boa companhia, conversas, diversão e algum contato físico (abraços e insinuações de beijos).

Basicamente, eles precisam deixar as garotas apaixonadas e fazê-las voltar periodicamente às casas de host. Há quem evite fazer sexo justamente por esse motivo. É o que diz um dos hosts, em depoimento ao diretor Jake Clennell: “Se transamos, damos o que elas querem e elas somem. Nós temos que mantê-las felizes e envolvidas. Se elas se enjoam, perdemos as clientes”. De fato, a palavra “casamento” é uma das mais pronunciadas durante todo o documentário.

The Great Happiness Space Documentary não tem previsão de estréia no Brasil. Mas você pode ver o filme inteiro no Google vídeo. Clique aqui e assista.

Buggy-rollin, O Homem de Rodas

O Nascimento do produto 3.gif

Esta invenção é nomeada BUGGY-ROLLIN ‘ e para razões pratical, olha como uma armadura equipada com os rolos em cada ponto salient a fim proteger o skater do ruído elétrico e de posicionar dos rolos. Leia mais deste post